Skip to content Skip to main navigation Skip to footer

Falta de recursos humanos na UCSP de Aguiar da Beira continua a comprometer cuidados de saúde da população

Situação está a provocar constrangimentos ao nível de consultas de vigilância, tratamentos e vacinação Covid, não conseguindo garantir a vacinação de professores e funcionários do Agrupamento de Escolas de Aguiar da Beira. Município pede resolução de constrangimentos à ARS Centro

De acordo com uma nota informativa, emitida ontem (5 de janeiro), pela Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados (UCSP) de Aguiar da Beira, “devido ao facto de existirem constrangimentos ao nível de recursos humanos, nomeadamente enfermeiros e administrativos, neste momento não é possível manter o habitual e necessário acompanhamento dos seus utentes, quer ao nível das consultas de vigilância, quer ao nível da vacinação Covid”, deixando um pedido de desculpas aos utentes “pela demora na realização de algumas atividades, como a realização de tratamentos e a vacinação Covid”.

A vacinação do pessoal docente e não docente do Agrupamento de Escolas Pe. José Augusto da Fonseca, de Aguiar da Beira, também está comprometida.

“No momento atual, não é possível a esta UCSP assegurar a vacinação Covid dos referidos profissionais em regime de ‘Casa Aberta’ nos dias divulgados, pelo que os aconselhamos a recorrer a outros locais de vacinação, nomeadamente ao CVC de Viseu, situado no Pavilhão Multiusos”, pode ler-se no comunicado, assinado pelo coordenador da unidade, António Lacerda.

Segundo as autoridades de saúde, os professores e profissionais das creches e ATL, bem como todos os trabalhadores não docentes, podem fazer o reforço da vacina contra a Covid-19 em regime de “Casa Aberta” nas tardes dos dias 6 a 9 de janeiro. Este reforço da vacinação decorre nos mesmos dias da vacinação das crianças, agendada para de manhã, sendo que os profissionais apenas precisam de recorrer a senhas digitais e mostrar um documento que comprove o seu emprego.

Conforme noticiámos na edição de dezembro último, o centro de saúde local encontra-se a funcionar, há algum tempo, “apenas com dois” enfermeiros, dos quatro habituais, para um universo de cerca de 5.700 utentes, o que coloca “em risco” a assistência à população e a vacinação contra a Covid-19 no concelho, o que levou mesmo o Sindicato dos Enfermeiros a remeter um pedido para a Administração Regional de Saúde do Centro para que houvesse urgentemente um reforço neste centro de saúde.

Presidente do Município de Aguiar da Beira solicita resolução de problemas à ARS Centro

Virgílio Cunha, edil da Câmara Municipal de Aguiar da Beira, contactou, hoje (6), a presidente da Administração Regional de Saúde (ARS) do Centro para lhe transmitir a sua “preocupação relativamente à situação que o concelho vive, em termos dos serviços prestados na área da saúde”, e pedir “a resolução destas questões, e outras, conhecidas dos Serviços, para minorar o sofrimento desta população do nosso interior”.

Numa comunicação enviada à responsável, o autarca referiu que “é do conhecimento de toda a população, o esforço, para além do normal, que todo o pessoal do Centro de Saúde de Aguiar da Beira, tem feito e continua a fazer, para prestar o melhor serviço que lhe é possível. Apesar da dedicação extrema dos profissionais de saúde, que reconhecemos sem reservas, nem sempre tem sido possível  responder, como seria desejável, por manifesta falta de pessoal, sobretudo de enfermagem, a todas as situações, nomeadamente as que se prendem com o COVID-19, mas também acompanhamento noutras valências. Tal facto, é motivo de descontentamento das populações que se exprimem das mais variadas formas, nomeadamente, nas redes sociais, como é obvio”.

“É sabido publicamente que o quadro de enfermagem, comporta quatro enfermeiros e que, apenas dois enfermeiros estão ao serviço, já que outros dois, estão de baixa médica, sem fim à vista, pelo que se conhece. Consta-se também que não foi renovado o contrato com um elemento de enfermagem, que, pertencendo ao Hospital de Viseu, terá pedido a mobilidade para Aguiar da Beira, mas não terá sido aceite pela ARS. É dito que o HV já terá  preenchido o lugar! Por outro lado, aguarda-se um contrato de avença com outro funcionário da área de enfermagem. Também é manifesta a falta de pelo menos, mais um Assistente Técnico”, evidenciou.

Nesse sentido, o presidente aguiarense apelou à sensibilidade da presidente da ARS Centro para “a resolução destas questões, e outras, conhecidas dos Serviços, para minorar o sofrimento desta população do nosso interior”.

Para além das questões dos recursos humanos, Virgílio Cunha também deu conta dos vários problemas – situações de humidade por falta de manutenção e obras de melhoramento, ar condicionado avariado, equipamentos avariados, etc. – que as instalações da Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados apresentam, “oportunamente relatados pelo Centro de Saúde para o responsável pelo património da ACeS Dão Lafões.

Partilhar com...
Share on Facebook
Facebook
Email this to someone
email
Print this page
Print

0 Comments

There are no comments yet

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *