Skip to content Skip to main navigation Skip to footer

Reflexões, política(s) e valores europeus

Pedro Gonçalves | Diretor Comercial |
“Reflexões, política(s) e valores europeus”

Pode ter passado ao lado de muita gente, mas decorreram há umas semanas as Eleições para o Parlamento Europeu.

Esta é uma das três principais instituições da União Europeia, sendo o órgão legislativo da UE. É diretamente eleito pelos cidadãos europeus de cinco em cinco anos. Ou seja, apenas daqui a 5 anos teremos o direito de escolher quem nos representa na UE. Várias ilações se podem retirar dos resultados, tais como: verificar que o nosso sistema partidário (“regime”, como alguns dizem) está gasto; ainda não existe uma cultura europeísta (da parte da população mais idosa); e grande parte da abstenção deveu-se à não identificação das pessoas com nenhuma forma de fazer politica dos representantes políticos. Todos os partidos e movimentos políticos foram os grandes derrotados destas eleições. Não souberam passar a sua mensagem, não conseguiram fazer chegar a informação correta às pessoas, tendo inclusive voltando a dar a imagem do político “achincalhador” e “de ocasião”, nos vários debates, nas várias feiras e arruadas que realizaram. Um dos problemas esteve na campanha, que se deveria ter focado em mobilizar os cidadãos, em passar informação e ter pautado por uma nova forma de comunicar. Utilizando as novas redes e meios de informação, deveria ter reeducado os mais velhos do que é a Europa e quais os poderes do Parlamento Europeu. Os mais novos, mais familiarizados com a UE e as suas politicas, deveriam ter sido mais envolvidos na campanha, ter uma voz ativa e partilharem as suas experiências europeístas. O único ponto positivo destas eleições, a nível nacional, foi o facto de o sistema partidário continuar sem derivas populistas e extremistas. O mesmo não se pode aferir no resto da Europa, onde vários países têm políticas nacionalistas e radicais a ganhar grande relevo e a aumentar as suas votações. Politicas estas que vão totalmente contra as ideologias e fundamentos da UE. Há que ter esperança nas gerações mais novas, que nascem já com uma filosofia europeia incutida, de união, cooperação, de valores e respeito pelo outro. Pelo menos, no nosso concelho vamos pelo bom caminho! Verificamos que temos um coworking, embora a meio gás, mas a ser usado apenas por jovens. Temos alunos empreendedores com brilhantes e ecológicas ideias, como se verificou no Concurso de Ideias de Negócio. Temos jovens com interesses culturais e artísticos e que procuram fazer a sua arte, neste caso uma curta-metragem na sua terra. Temos crianças que terão uma melhor inteligência emocional, competência que futuramente terá um grande peso na nossa vida, mais especificamente no mercado de trabalho. E temos uma associação juvenil que inicia um projeto ecológico e ambiental – “Limpar, Cuidar e Amar” – que deve ser abraçado, e certamente o será, por toda a comunidade. Desde uma dimensão local até uma global, que se pense e se viva Europa!

Pedro Gonçalves

pmbg@hotmail.com

Edição 108, 8 de junho de 2019

Partilhar com...
Share on Facebook
Facebook
Email this to someone
email
Print this page
Print

0 Comments

There are no comments yet

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *