Skip to content Skip to main navigation Skip to footer

Termas das Caldas da Cavaca estão encerradas

Balneário termal encontra-se muito degradado e não abriu

O balneário das Termas das Caldas da Cavaca não abriu para a época termal deste ano. Ao que apurámos e como se pode observar no complexo termal, as instalações termais não reabriram, para a habitual época com os diversos tratamentos e programas de bem-estar, porque se encontra muito degradado, consequência das tempestades Elsa e Fabian, em dezembro passado.

Devido à pandemia do novo coronavírus, as estâncias termais a nível nacional tomaram a iniciativa de suspender a atividade em meados de março. Mas, desde 15 de junho que estão autorizadas pela Direção-Geral da Saúde a reabrir, cumprindo protocolos específicos e rigorosos de higienização e segurança.

O complexo termal das Caldas da Cavaca apresenta um cenário de abandono e degradação, pela falta de recuperação e/ou conservação do património natural e edificado existente. São exemplos disso o antigo hotel e os casarios em risco de ruir, ou as zonas de lazer deterioradas, sujas e repletas de vegetação, e o edifício do balneário, que também mostra reflexos de falta de manutenção, com telhas e janelas partidas.

Recorde-se que desde o início do ano que o Município de Aguiar da Beira tem pressionado a Caldas da Cavaca SA, sociedade gestora do complexo termal, a apresentar uma solução para o desenvolvimento do projeto de investimento no espaço (tendo sido constituído no mês anterior um grupo de trabalho para o efeito entre a autarquia e a sociedade) e o executivo autárquico chegou mesmo a dizer que não aceitava que a época balnear 2020 estivesse em causa.

A época termal nas Caldas da Cavaca costuma realizar-se de maio a outubro, o que não acontecerá desta vez.

As águas destas termas são indicadas para a terapia de doenças do aparelho digestivo (úlcera gastroduodenal, dispepsia, refluxo esofágica, discinesia vesicular, colelitíase, síndrome do cólon irritável, obstipação crónica, ou diarreia); doenças do aparelho respiratório (rinites, sinusites, rinosinusites, amigdalites e otites de repetição, asma brônquica e bronquite crónica); doenças reumáticas e músculo-esqueléticas (cervicalgias, dorsalgias, lombalgias, gonalgias, tendinites, peritendinites, espondilartrite anquilosante, ou artrite reumatoide); e doenças de pele (psoríase e dermatite [eczema] atópica).

Promotor será notificado para limpeza do espaço

A garantia foi deixada pelo presidente do Município de Aguiar da Beira, na reunião de câmara de 1 de julho passado, depois do vereador da oposição, Fernando Pires, ter demonstrado, mais uma vez, a sua preocupação pelo “estado lastimável em que se encontra” o complexo termal.

“É necessário verificar a quem pertence efetivamente a responsabilidade pela limpeza do espaço, dado o estado lastimável em que se encontra, que além da má aparência, constitui um risco enorme”, notou o social democrata.

Na resposta, o autarca Joaquim Bonifácio garantiu que “a responsabilidade pela limpeza das Caldas da Cavaca pertence ao promotor e que o mesmo irá ser notificado para proceder à limpeza, podendo, caso não o faça, os serviços do município proceder à respetiva limpeza, debitando ao promotor as respetivas despesas”.

Partilhar com...
Share on Facebook
Facebook
Email this to someone
email
Print this page
Print

0 Comments

There are no comments yet

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *